A pandemia provocada pelo Covid-19 forçou o planeta inteiro a abraçar o mundo digital abruptamente. Os professores, pais, familias e crianças, tiveram que enfrentar os desafios dessa nova tarefa. Poucos estavam preparados para uma vida via plataforma 100% digital, tanto no trabalho como na escola e fomos “obrigados” a fazê-lo às pressas.

Por essa razão, é muito importante que nós, adultos, intermediários entre as informações e os nativos digitais nos capacitermos para o uso ético e consciente das plataformas tecnológicas para transmitamos esses conhecimentos aos nossos filhos. Não podemos esquecer, que é de suma importância, nos informar sobre os códigos, regras, riscos, perigos e segurança da informação no mundo digital, ou seja, saber como usar a Internet de forma segura e responsável.

O fato de estarmos vivendo uma pandemia faz com que, mais do que nunca, tenhamos que estar alertas e cientes dos riscos existentes.  Por isso, alguns pais e familias buscam dicas para evitar que fiquem perdidos, expostos e sob riscos nesse mundo digital. A segurança das pessoas e da informação, a proteção de dados pessoais e privacidade, os direitos e danos de imagem e reputação digital, cyberbullying são temas essencias para aprender e transmitir as crianças.

Além disso, neste momento de escola online é importante darmos algumas dicas como:

  • orientar as crianças para não compartilhar o link de acesso de videoconferências da escola a terceiros;
  • pedir aos adultos que acompanhem os alunos, crianças e adolescentes na hora de navergar ou, minimamnente, saibam os jogos ou sites que os menores navegam.
  • no momento de configurar o usuário, colocar o nome e sobrenome exato dos alunos e não apelidos ou inserir nomes dos pais ou responsáveis;
  • os microfones e câmeras devem ser fechados no final da conversa, assim como colocar um adesivo que cubra a câmera do computador na hora de dormir;
  • aos pais, ao compartilhar computadores ou outros dispositivos com as crianças, tomarem cuidado de não permitir compartilhar documentos, imagens e vídeos que não sejam apropriados para a faixa étaria deles.

Em relação à proteção de dados pessoais e a privacidade, vale lembrar que a entrada em vigor da nova Lei de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) está prevista para 17 de setembro de 2020, logo é preciso respeitar e nos conscientizar de nossos direitos como titulares de dados.

Sobre os diretos e danos de imagem e reputação digital, é essencial relembrar às crianças e aos seus responsáveis que, mais do que nunca, o respeito aos direitos de propriedade intelectual e imagem continuam vigentes. Uma boa alternativa seria elaborar um lembrete e explicação com desenhos fáceis sobre o assunto a serem disponibilizandos permanentente para as  crianças e seus responsáveis.

Sempre é importante reforçar que os bons hábitos e condutas  devem se manter mesmo com as vidas online, sabemos que o bullying e outros perigos não são brincadeira. Não deixe de chamar a atenção ou intervir em caso de ofensas mascaradas de brincadeiras, insultos, apelidos pejorativos.

Para os jovens, principalmente adolescentes, é bom relembrá-los de tudo que pode acontecer nas redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas. Primeiramente,  alertar para que não deixarem o perfil aberto. Em segundo lugar, configurarem o perfil de visualização exclusivo para os amigos e tomarem cuidados com os comentários dos grupos e compartilhamentos que fazem nas redes sociais.

Por último, reforçar que a Internet não é terra sem lei, o que acontece nela, dificilmente some ou se apaga.

 

Flavia Meleiras

Advogada, Doutora em Direito Digital

 

nish

Author nish

Mais posts de nish

Deixe uma resposta